terça-feira, 4 de maio de 2010

Sobre churrascos, crepes e baladas




***Sobre churrascos, crepes e baladas***


Conviver é ao mesmo tempo a melhor e a pior coisa do mundo, que o digam os casados! É na convivência que a verdade sobre quem nós somos vem à tona, deixando em realce as nossas qualidades e os defeitos. Não adianta tentar se esconder disso, pois mais cedo ou mais tarde tanto as nossas virtudes quanto as debilidades morais ficarão em relevo. Na medida em que gastarmos tempo na convivência com o outro até as respostas que não foram cobradas chegarão, sem meios termos.


Mas as perguntas que devem ser feitas aqui são as seguintes: O que fazer quando o conhecimento, se não pleno, mas suficiente, sobre quem o outro é chegar a nossa consciência? O que fazer diante da realidade constrangedora tanto das qualidades quanto das falhas do ser com o qual convivemos? As respostas que formularmos a essas questões definirão a qualidade das relações nas quais nos envolvemos e garantirá ou não o seu futuro.

Nosso grande erro está no fato de idealizarmos o outro sempre perfeito, sem “buracos na alma”. Essa projeção que criamos dá resultados até o dia em que percebemos que aquela pessoa tão agradável possui manias e jeitos que não suportamos tanto assim. E é aqui que reside o desafio: O que faremos com o amigo “defeituoso de fábrica”? O devolveremos com muitas reclamações? Ou entregaremos a ele uma lista de pontos onde ele precisa melhorar?

Meus irmãos, devemos aprender com Jesus, que a despeito dos desvios de caráter dos discípulos, andou com eles, os fez crescer, contribuindo para que fossem grandes homens depois de sua partida. Olhemos para Pedro, um homem de pavio curto, uma verdadeira “porta” de tão bruto que era. Mas o que aconteceu com ele? Jesus o sensibilizou e o brutamonte Pedro começou a dilatar o seu amor que antes era medido e desconfiado: “Tu sabes que eu te amo Senhor”, foi isso o que ele disse pra Jesus certa vez.


O Senhor trabalhou com todos eles, de um por um, entre ceias e caminhadas, entre palavras doces e ásperas, entre multidões e orações solitárias, entre sorrisos pela manhã e a cruz ao entardecer. A convivência diária, aberta a momentos de discussão e cafunés, era a metodologia que Jesus utilizava para tocar nos corações dos “homens defeituosos”. Jesus amava gente de todo tipo, se abria a elas e oferecia um fardo mais leve do que todas as experiências pelas quais passaram. Ele fascinava os segmentos marginalizados da sociedade. Havia verdade em seu olhar e em sua fala. Havia poder restaurador em seu toque. Havia acolhimento e esperança em sua vida. O Deus Todo Poderoso se fez homem para habitar entre nós, para andar lado a lado conosco, para nos mostrar que ninguém está só e abandonado. Sempre haverá companhia na jornada da vida.

E nós, seguimos o exemplo do mestre? Temos caminhado com o outro? Nossos churrascos, crepes e baladas sabáticas tem surtido efeito no que se refere em não deixar o outro só? E os comportamentos desagradáveis, somados as falhas morais, têm minado as relações interpessoais? Quando todas essas questões estiverem sobre nós é só respirar fundo e... amar!


Sim, amar simplesmente por amar, sem esperar nada em troca. Amar para que o outro se sinta acolhido. Amar para suportar, edificar, abraçar e afirmar que por mais que as falhas e os momentos complicados existam, é esse amor que cobrirá todas as transgressões. É isso o que o evangelho nos ensina, pois onde abundou o pecado superabundou a graça! Então deixemos a graça fluir meus queridos, como remédio que nos cura a todos!


Que não nos esqueçamos que o Deus que servimos é um Deus real, cujo amor real afeta a vida de pessoas reais por meio de atitudes reais! Nós somos a concretização do amor de Deus, sendo assim, te convido hoje para afetar a vida das pessoas de forma positiva. Somos todos membros desse corpo, interdependentes, relevantes e acima de tudo amados! Caminhemos juntos então, amando uns aos outros assim como Ele nos amou!




Por J. Reinaldo


2 comentários:

marcio disse...

LINDO,PORÉM, VASIO O INEQUÍVOCO TEXTO, SUAS INDAGAÇÕES, AFIRMAÇÕES E DUBIALIDADES PODERIAM SER MAIS EXPLICITAS, NO TOCANTE A COMPORTAMENTOS, ACÕES E PENSAMENTOS......ESSA ERA A SUA INTENÇÃO? DEIXAR A DÚVIDA NO AR^^^

CANADA

UMP PRIMEIRONA 10 disse...

será q o texto foi uma 'cutucada'???? srsrrsrs

Postar um comentário